Áreas Temáticas

A relevância/contribuição da associação para o desenvolvimento das pesquisas nas áreas da Linguística e das Letras

Análise Crítica do Discurso
Pautada em uma abordagem transdisciplinar de estudo da língua, esta área tem por ponto comum o estudo o discurso. Assim, busca-se apresentar como as práticas linguísticas e as práticas discursivas se relacionam com as estruturas sociopolíticas mais abrangentes, a partir de uma relação de poder e de dominação. Para isso, inclui em sua crítica elementos exteriores ao texto, tais como o contexto histórico, sócio-cultural e político.

Análise do Discurso Francesa
Com foco nos postulados de Pêcheux, a área em questão busca agregar trabalhos que se filiem ao pensamento do pensador francês sem deixar de lado as contribuições oriundas das contribuições de pensadores brasileiros. Logo, articula trabalhos que se desenvolvem nas seguintes temáticas condições de produção e interdiscurso, esquecimentos, paráfrase e polissemia, formações imaginárias, formação discursiva, ideologia, sujeito e sua forma histórica.

Análise Dialógica do Discurso
A presente área se concentra nos estudos do Círculo de Bakhtin e em suas perspectivas de abordagens produzidas no Brasil, se focando na produção, circulação e recepção de tais produções. Para isso, considera-se como uma teoria analítica pautada entre a linguística e a translinguística que se constrói numa abordagem dialógica do discurso dotada de metodologia própria.

Aquisição de Língua Materna
Busca-se, na perspectiva psicolinguística, trabalhos que contrastem interfaces internas (sintaxe-semântica) e externas (sintaxe-discurso/pragmática) à gramática. Considera também investigação sobre o processo de aquisição lexical, caracterizando como bebês e crianças segmentam os enunciados que ouvem em unidades menores e relacionam esses elementos a representações de entidades, conceitos ou eventos. Inclui aqui a investigaçãoda influência do componente prosódico em outros tipos de estruturas sintáticas complexas; bem como estudo da aquisição e do processamento da linguagem como parte da construção de uma ciência cognitiva que explora as potencialidades computacionais e simbólicas da mente humana e buscam, na teoria linguística, uma caracterização da faculdade de linguagem e das propriedades e operações linguísticas que sejam compatíveis com modelos de processamento linguístico. Considera-se ainda o tratamento integrado do processamento linguístico do adulto e da criança durante a aquisição de uma língua. Inclui-se aqui também processos de reflexão acerca do sistema escrito, considerando a variação sociolinguística, a frequência de uso das palavras, a consciência fonológica e a morfológica.

Estudos descritivos em Língua Brasileira de Sinais
Desde o ano de 2002, com a promulgação da Lei 10.436, regulamentada pelo Decreto 5626/2005, têm-se ampliado bastante os estudos circunscritos na área de Língua Brasileira de Sinais (Libras), quer sejam relativos, especificamente, ao ensino dessa língua, quer sejam à sua fonologia, morfologia, sintaxe, semântica, pragmática, entre outros. Embora seja uma área relativamente nova dentro dos estudos da linguagem, o estudo da Libras suscita diversas pesquisas em vários campos, o que se percebe com o grande aumento de investigações, estudos e trabalhos a ela relacionados, sobretudo em programas de Pós-graduação, em nível de Mestrado e Doutorado em todo o Brasil. Esperamos, para este eixo da Jornada Itinerante do GELNE, estudos descritivos em Língua Brasileira de Sinais, concluídos ou em andamento, compreendidos quanto à estrutura fonológica, em nível morfossintático, de aquisição, de natureza semântica ou pragmática.

Estudos de Formas e Gêneros Literários
Considera as categorias de "forma" e "gênero" para refletir sobre o fenômeno literário em perspectiva histórica, considerando,principalmente, autores cujas obras, em suas configurações estéticas, conferem uma contribuiçãooriginalà tradição a que pertencem. Incluem-se estudos que abordem as teorias sobre formas e gêneros literários, reformulações históricas dos gêneros enquanto categoria literária, estudo das formas e gêneros clássicos, das rupturas modernas e dosexperimentalismos formaiscontemporâneos.

Estudos em Literatura Comparada
Considera as teorias clássicas e atuais da Literatura Comparada, dialogando com a Crítica Literária, com as Teorias Literárias e com outras áreas do saber antropológico, tais como a História, a Sociologia, a Antropologia, a Psicanálise entre outras. Abarca estudos de recepção, de tradução e de intermediação cultural; estudos que envolvam relações entre obra e obra, entre autor e autor, entre movimento e movimento; análise da fortuna crítica ou da fortuna de tradução de um autor em outro país que não o seu; estudo de um tema ou de uma personagem em várias literaturas bem como estudos que contemplem a relação da literatura com outras artes (intersemióticos).

Estudos em Ensino de Literatura
Compreende estudos que tratem das problemáticas doprocesso ensino-aprendizagem da Literatura; que investiguem os conhecimentos específicos de docentes de Literatura; que analisem aulas, projetos e material didático na área de Literatura; que reflitam sobre as condições de ensino-aprendizagem e que contribuam para capacitação de docentes de Literaturaconsiderando, principalmente, o contexto contemporâneo marcado pela cultura digital.

Estudos em Literatura e Estudos Culturais
Incluem-se aqui estudos de obras literárias com enfoque nas relaçõesde categorias identitárias da diferençatais como de gênero/sexualidade, classe e etnia, entre outras, considerando tanto a construção de personagens quanto a condição de autoria; estudos de obras literárias que reflitam sobre os desafios implícitos ao debate sobre as assimetrias de poder entre sujeitos, discursos e textos, além de estudos sobre as contribuições epistemológicas dos estudos feministas e pós-coloniais para o campo literário.

Fonética e Fonologia
Considera as evidências segmentais, rítmicas e/ou entoacionais da interface da fonologia com outros níveis da gramática, sejam estes lexicais, morfológicos, sintáticos.Inclui a contribuição de estudos fonéticos, sociolinguísticos, de fonologia de laboratório à teoria fonológica e à análise do sistema fonológico, do português e de outras línguas; bem como contribuição de pesquisas concernentes à ligação entre fonética, fonologia e ensino de línguas. Um outro cerne a ser considerado aqui são trabalhos que abordem os processos fonológicos, envolvendo consoantes e vogais do Português Brasileiro; como também de outras línguas. Aqui considera-se a relevância de dados de aquisição da fala e de aquisição/desenvolvimento de escrita para a teoria fonológica; bem como as teorias e modelos de análise fonológica: questões em debate e desenvolvimentos recentes.

Gêneros Textuais e Letramento:
Área de pesquisa voltada para o letramento como prática social , seja ele complexo, múltiplo, histórico, situado, ideológico, reflexivo, em rede, mediado por gêneros textuais/disicursivos, cujos procedimentos analíticos podem contribuir para o ensino e a aprendizagem da escuta, da leitura e da produção de textos.

História da Leitura e da Escrita
Uma das vertentes de estudos históricos, cujo objeto de estudo é a transformação da prática de leitura nas várias épocas da história humana e a construção social de cada época. A história das práticas de leitura associa-se à história das práticas de escrita e sua acomodação em diferentes suportes ao longo do tempo: das tábuas da escrita cuneiforme aos monitores de computador.

Linguística Aplicada
Compreendida como inter/transdisciplinar, esta área temática abrange os estudos que concebam a língua enquanto prática social e, a partir dessa concepção e do diálogo com variados campos do conhecimento científico, busquem desenvolver ações direcionadas às demandas sociais nas quais esteja envolvida a linguagem humana. São aqui esperados trabalhos que discutam possibilidades de intervenção para a resolução de problemas cotidianos voltadosàs relações profissionais, às questões forenses, às técnicas de tradução, às questões de identidade étnico-racial e de gênero, às metodologias de ensino de línguas, aos aspectos do multiletramento, à produção de materiais didáticos, às relações das tecnologias digitais com o ensino-aprendizagem de línguas, entre tantos outros temas sociais para os quais a Linguística se faz útil e necessária.

Linguística de Texto e multimodalidade
Tendo por objeto de investigação o texto, a presente área tem por objetivo agregar trabalhos que busquem apresentar investigações em torno da textualidade, da intertextualidade, dos processos de produção e recepção textual nas modalidade oral e escrita da língua. Buscando atender às demandas emergenciais em torno dos estudos mais recentes, abre-se espaço também para trabalhos cuja temática se centram nas discussões focadas nos estudos da multimodalidade em suas mais diversas abordagens que busquem dialogar com as teorias do texto.

Linguística História e Estudos das Tradições Discursivas
Área de pesquisa voltada para o estudo da língua definida temporal e espacialmente; aborda os fenômenos de mudança de uma língua particular estabelecendo relações entre a língua e a comunidade que a fala, ao abordar a história. A mudança consiste no processo de transformação interna da língua em consonância com as transformações da sociedade, o que se configura como uma análise de documentos de sincronias passadas que intersecciona a história interna e externa. As pesquisas na perspectiva da Tradição Discursiva envolvem trabalhos de elaboração de corpora diacrônicos e de análise linguística, enfocando uma ou mais dimensões de tradicionalidade: dos gêneros; dos discursos; dos tipos textuais; dos estilos; da língua.

Morfologia e suas interfaces
Esta área temática contempla os estudos de análise e descrição do léxico das línguas naturais, com particular interesse pela estrutura interna das palavras e seus processos originadores. São aqui esperados trabalhos que promovam o debate e a reflexão sobre os limites da morfologia enquanto disciplina autônoma, sobre suas interrelações com os demais níveis de análise linguística e sobre o avanço das pesquisas desenvolvidas na área. Serão aceitos estudos realizados tanto sob a perspectiva formal quanto a funcional, ou quese proponham ao diálogo entre ambas.

Novas tecnologias e ensino de línguas
As Tecnologias da Informação e Comunicação, as chamadas TICs, se converteram num suporte para desenvolver e promover experiências inovadoras no intuito de aprimorar a educação. Nesta área temática, abrimos o espaço para reunir pesquisas concluídas ou em andamento relacionadas ao uso das novas tecnologias no ensino-aprendizado de línguas materna e estrangeiras.

Políticas Linguísticas
A área temática Políticas Linguísticas congrega estudos que têm como objeto de discussão as práticas linguísticas, as crenças e as decisões que dizem respeito ao gerenciamento linguístico de uma comunidade, de um estado ou de um país, explicita e oficialmente formalizado ou não. As políticas linguísticas são consideradas como intervenções propositais que podem ser realizadas numa língua ou numa comunidade linguística. De maneira particular, este espaço ocupa-se de questões relativas a políticas linguísticas oficializadas no Brasil em face da diversidade linguística que se verifica no país e da multiplicidade dos contextos de uso da língua. As discussões a serem empreendidas devem girar em torno das ideologias subjacentes à política ou às políticas linguísticas relativas aos usos da língua; também encontram espaços as discussões acerca da ecologia linguística de contextos específicos mediante as práticas sociais que envolvem a língua quer na sua modalidade oral, quer na sua modalidade escrita, quer, ainda, do ponto de vista dos possíveis registros linguísticos, em termos do que é oficialmente considerado sobre as políticas para os usos da língua.

Processamento da Linguagem
Nesta área temática tem como objetivo dar visibilidade ao que tem sido feito em âmbito nacional sobre o Processamento da Linguagem da mesma forma que pretende fomentar a discussão e o debate teórico e metodológico entre os que trabalham nesse campo. Para isso, pretende-se agrupar trabalhos que versem sobre o processamento linguístico nos vários níveis de descrição estrutural. Assim, serão aceitos trabalhos que foquem o processamento de informação fonética-fonológica, modelos de léxico mental e teorias de acesso e representação lexical, modelos e teorias de parser que contemplem o componente sintático da gramática, e o processamento de informação de cunho semântico.

Semântica e Pragmática
Pretendemos promover a apresentação e a discussão de pesquisas em Semântica e  em Pragmática, podendo ser estas de natureza teórica, descritiva ou aplicada. Serão aceitos trabalhos que estejam relacionados às diversas áreas e teorias semânticas, como a Semântica Formal, a Semântica Cognitiva, a Semântica Enunciativa, a Semântica Argumentativa, a Semântica Lexical, a Semântica Cultural, a Semântica Computacional, entre outras, tanto quanto trabalhos em teorias da pragmática, seja na vertente ilocucional ou na conversacional. Os trabalhos de natureza teórica podem conter descrição e análise de dados ou fenômenos linguísticos, com ou sem interface com outros componentes da gramática, tais como a fonologia, a morfologia, a sintaxe, bem como a própria interface semântico/pragmática. Além disso, serão aceitos estudos que discutam a relação entre essas teorias e o ensino. Nesse caso, esperam-se trabalhos de análise de texto, em que se considerem os recursos da significação como os elementos responsáveis pela constituição do sentido do gênero textual específico selecionado como corpus para análise. Ainda preveem-se trabalhos que discutam as propostas de análise que visem à contribuição da semântica e da pragmática nas práticas de sala de aula no ensino da língua portuguesa, seja como língua materna ou como língua estrangeira, considerando as atividades de leitura, escrita, e análise linguística. Enfim, trata-se de um amplo debate com trabalhos que busquem verificar a abrangência e a relevância das atuais pesquisas na temática da significação, pautadas em suas diversas teorias.

Sintaxe e suas interfaces
Esta área temática abarca os estudos de análise e descrição da sintaxe das línguas naturais, sejam tais estudos voltados ao próprio nível de análise ou a suas interfaces com a fonologia, a morfologia e a semântica. São aqui esperados trabalhos que contribuam para a produção de conhecimentos científicos acerca da gramática das línguas, tanto no viés sincrônico quanto diacrônico; bem como suscitem o debate e a reflexão para o avanço dos arcabouços teóricos e metodológicos atuais. Poderão ser submetidos estudos com orientação teórica formal ou funcional, ou que se proponham ao diálogo entre as duas perspectivas.

Sociolinguística e Dialectologia
Evidencia a descrição e análise de processos de variação e/ou mudança nos sistemas linguísticos em todos os planos da descrição gramatical: fonético-fonológico, morfológico, sintático, lexical, semântico, pragmático e discursivo. Prioriza-se trabalhos que discorram sobre o conhecimento de variedades linguísticas ameaçadas, minoritárias ou minorizadas, a fim de refletir sobre estratégias de preservação da diversidade linguística: projetos de revitalização de línguas, promoção de políticas linguísticas, etc.; considerando os avanços realizados nesses aspectos dentro das distintas regiões do Brasil. Inclui-se também questões epistemológicas e heurísticas que constituam base teórica sólida para estudos sociolinguísticos em interface; bem como estudos que envolvam entoação modal, que caracterize os falares regionais e os sistemas vocálicos e consonantal do português e de outras línguas.